Crescem as razões para implementar projetos de geração solar – e o Hapner e Kroetz pode ajudar nesse processo

Publicado em 15 Outubro 2021

Saiba como o investimento está alinhado com objetivos ESG e com a agenda das mudanças climáticas

Os últimos anos trouxeram impulsos para a aposta nas energias renováveis. Nesse sentido, o desenvolvimento tecnológico aumentou o grau de eficiência dos equipamentos. Também barateou o custo de instalação desses sistemas de eletricidade verde. 

Além disso, o amadurecimento do mercado mostra que projetos de geração solar podem ser uma opção vantajosa e lucrativa de investimento. Ademais, está alinhada com objetivos ESG e com a agenda das mudanças climáticas.

Mais recentemente, a falta de chuvas e a ameaça de um apagão no Brasil já causa o aumento da tarifa de energia elétrica. Diante da crise energética, cresce ainda mais o incentivo para busca de suprimento da demanda por energia de forma alternativa. Bem como em casa, no comércio ou na indústria.

Para atingir esse objetivo, a instalação de placas ou usinas solares aparece como uma opção atraente. São inúmeras as ofertas do mercado que envolvem desde a compensação junto às distribuidoras da energia excedente gerada nas residências até a negociação bilateral de energia elétrica no mercado livre brasileiro. 

A escolha pelo modelo de negócios envolve desde o capital disponível para a operação até o apetite de risco do investidor. Incluindo o tamanho da propriedade destinada à geração solar.

A importância do timing das operações

Elemento comum em todos os modelos de negócios apresentados é a necessidade de conformidade com as regras da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Trata-se de um setor elétrico complexo e muito regulado. As operações que nele ocorrem precisam observar os requisitos específicos para cada tipo de operação.

Nesse ponto, ressaltamos a importância do timing das operações. A viabilidade financeira do projeto está atrelada a condições regulatórias, que podem ser modificadas a qualquer tempo. 

Por exemplo, o governo já sinalizou alteração do regime que estabelece isenção das taxas relacionadas aos custos das redes de transmissão, a partir do próximo ano. Isso no caso da geração distribuída, modalidade em que a produção e consumo de energia que ocorre na mesma unidade.  No entanto, as atuais condições serão mantidas para projetos aprovados até dezembro de 2021.

Tendo em vista essa complexidade do setor elétrico e suas especificidades. A equipe de Hapner Kroetz Advogados está preparada para auxiliar na concretização de seu projeto solar. 

Seja para a inscrição do projeto na ANEEL, para sua aprovação pela concessionária distribuidora ou para a análise jurídica em operações de fusão e aquisição no mercado.

Área relacionada:

Energia